Diagnose

Centro de Diagnóstico por Imagem
Intranet

25/07/2012

Cintilografia do miocardio

Exemplo de cintilografia do miocárdio normal

O propósito deste exame é de estudar o fluxo sanguineo regional do miocárdio. A indicação clínica mais importante deste exame, em conjunto com o teste de esforço, é portanto, a avaliação da doença isquêmica do coração.

A cintilografia do miocárdio é realizada após a injeção de um radiofármaco chamado Sestamibi-Tc 99m (Sestamibi marcado com Tecnécio 99m).

Este procedimento é feito em duas etapas: esforço e repouso.

Na etapa do esforço, o paciente é levada até uma esteira ergométrica, onde é submetido a um teste de esforço. No pico máximo do exercício ele é injetado com a substância acima citada.

Na etapa de repouso, solicita-se ao paciente que não faça nenhum tipo de exercício físico e, novamente, ele recebe outra injeção de MIBI.

Como nos outros exames de Medicina Nuclear ele é levado até à Gama Câmera, onde são obtidas as imagens (cintilografia). Neste caso a cintilografia é diferenciada dos demais exames, pois é uma cintilografia tomográfica ou SPECT.

Neste caso, o detetor da Gama Câmera gira em torno do paciente, enquanto adquire as imagens. Esta coleção de imagens é coletada no computador e processada com um programa especial que "fatia" o coração em pedaços e o apresenta em várias posições (incidências). Isto possibilita ao médico uma visão tridimensional do coração.

A interpretação do exame é feita através da comparação das imagens do exame feito na fase de esforço, com as imagens adquiridas na fase de repouso. No exame normal, as imagens apresentam distribuição uniforme do sestamibi em todas as paredes do ventrículos esquerdo, e são iguais em ambas as etapas.

Na isquemia do miocárdio, encontramos diminuição da captação do sestamibi em uma ou mais paredes do ventrículo esquerdo, nas imagens em esforço com melhora ou normalização da captação nas imagens em repouso.

Na fibrose do miocárdio, encontramos diminuição da captação do sestamibi em uma ou mais paredes do ventrículo esquerdo, nas imagens em esforço e que persiste nas imagens em repouso. Ou seja, o defeito de captação visto nas imagens em esforço continua a aparecer nas imagens em repouso.

Indicações da cintilografia do miocárdio em esforço e repouso

  • Angina estável ou dor torácica de origem incerta
  • Angina instável após estabilização inicial
  • ECG positivo sem sintomas
  • Teste de ECG de repouso de difícil interpretação
  • Avaliação da importância funcional de estenoses coronarianas conhecidas vistas na cineangio-coronariografia (estenose "border-line", avaliação da lesão culpada, estenose de pequenos ramos ou de localização distante)
  • Triagem de pacientes de alto risco, assintomáticos
  • Pacientes indicados para o teste de esforço, porém com um ECG de repouso que atrapalha a avaliação para isquemia
  • Avaliação do tratamento de coronariopatias (angioplastia, revascularização cirúrgica, tratamento medicamentoso)
  • Estratificação de risco (anginas estável e instável, após infarto agudo do miocárdio, cirurgia vascular de grande porte)


Contra-indicações da cintilografia do miocárdio em esforço e repouso

  • Infarto agudo do miocárdio recente (poucos dias)
  • Angina instável não controlada por medicação
  • Insuficiência cardíaca congestiva grave
  • Arritmia atrial não controlada
  • Taquicardia ventricular
  • Bloqueio átrio-ventricular de 2o. ou 3o. grau
  • Incapacidade de se exercitar adequadamente (artrite, claudicação, doenças músculo-esqueléticas, doenças neurológicas, debilidade generalizada)
  • Hipertensão não controlada
  • Hipotensão grave
  • Febre ou infeção ativa
  • Anemia grave
  • Hipovolemia ou desidratação
  • Grandes aneurismas


Este exame é realizado apenas com solicitação médica

Clique aqui para ver um vídeo sobre a cintilografia do miocárdio.

Fone: 82 2121.2222

Luis Alberto Rocha

Diretor Técnico Médico

CRM 1504 / RQE 450

Agência ComSaúde
2i9 MultiAgência